quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Esperança

Quando Theodora surtar, gritará de si para fora. Avistará do telhado terra estrangeira que, por causa de um grito, se tornará sua.

Quando Theodora enlouquecer, desenvolverá esqueleto verde e asinhas, porque pousar é preciso.

Viver não é preciso.

4 comentários:

Marla disse...

Theodora sabe das coisas...

beleza pura!

Bella disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bella disse...

O sol insistente de Campo Grande fez o blog de Theodora enegrecer?

Marla disse...

Theodorica, preciso te ver.